O GAFANHOTO E A CORUJA

Uma coruja, que vivia em uma árvore oca, tinha o hábito de se alimentar à noite e dormir de dia, mas os seus cochilos eram perturbados com o estridular de um gafanhoto, que tinha ocupado a sua casa nos ramos.

Ela implorou-lhe repetidamente que tivesse alguma consideração pelo seu descanso, mas o gafanhoto, se é que tinha alguma coisa, só estridulava mais alto. Finalmente a coruja não suportava mais, estava determinada a se livrar da praga por meio de um truque.

Dirigindo-se ao gafanhoto, disse da maneira mais agradável:

- "Como não consigo dormir com a tua canção, pois é tão doce como as notas da lira de Apolo, penso em beber algum néctar, que a Minerva me deu no outro dia. Não quer entrar e se juntar a mim?"

O gafanhoto ficou lisonjeado com os elogios da sua canção, a sua boca estava salivando com a menção da deliciosa bebida, então aceitou o convite dizendo que ficaria encantado. Assim que ele entrou no buraco onde a coruja estava sentada, ela o atacou e o devorou.

Moral da história: Não incomode quem está quieto.

Plano de assinatura do Kindle