O ESCRAVO E O LEÃO

Um escravo fugiu de seu mestre, por quem tinha sido tratado com muita crueldade, para evitar de ser capturado, foi para o deserto. Enquanto vagueava em busca de alimento e abrigo, ele chegou em uma caverna, na qual entrou e encontrou desocupada.

Porém, era a toca de um leão, para o pavor daquele fugitivo, o leão apareceu. Mas para seu espanto, o leão não o atacou, ao invés disso, o leão veio como se pedisse ajuda, se lamentando e levantando a pata, a pata do animal estava muito inchada e inflamada.

O homem observou bem e percebeu que havia um grande espinho cravado na almofada do pé. O homem removeu o espinho e enfaixou a ferida o melhor que pôde, com o passar do tempo, a ferida cicatrizou completamente. O leão ficou muito agradecido e viu aquele homem como seu amigo, compartilharam a caverna por algum tempo juntos.

Mas chegou um dia, em que o homem sentiu saudades da sociedade, de ver outros humanos, despediu-se do leão e voltou para a cidade. O homem foi reconhecido pelos outros e o levaram acorrentado ao seu antigo mestre, que resolveu fazer dele um exemplo, ele ordenou:

- "Que esse escravo ingrato seja atirado aos animais no próximo espetáculo público do teatro."

No dia fatal, as feras foram soltas na arena, entre os animais havia um leão grande de aspecto feroz, o escravo foi jogado no meio deles. Mas para a surpresa dos espectadores, o leão foi até o escravo e deitou próximo a seus pés com uma expressão de afeto. Aquele leão era o seu amigo da caverna, o público encantado clamava:

- "Não matem ele, ele é uma boa pessoa."

O governador da cidade, maravilhado com tanta gratidão e fidelidade de uma fera, decretou que ambos receberiam a sua liberdade.

Moral da história: Faça o bem e receba o bem.

Plano de assinatura do Kindle