A PULGA E O HOMEM

Uma pulga mordeu um homem, depois mordeu de novo e de novo, até que ele não aguentou mais. O homem procurou por ela e a encontrou, pegou a pulga entre os dedos e gritou de raiva:

- "Quem és tu? Sua criatura miserável que me morde quando bem entender."

A pulga aterrorizada, choramingou com sua vozinha fraca:

- "Oh senhor! Por favor, deixa-me ir. Eu sou uma coisinha tão pequena que não posso lhe fazer muito mal."

O homem deu risada e disse:

- "Vou te matar agora, o que é ruim precisa ser destruído, por menor que seja o mal que faça."

Moral da história: Não sinta pena com aqueles que fazem o mal.

Plano de assinatura do Kindle